|

Quando aplicar acupuntura?

| TERAPIAS

A acupuntura, junto com a fitoterapia, dietoterapia e a prática física – o que inclui a
meditação, formam os pilares da Medicina Tradicional Chinesa. A palavra vem do latim
acus (agulha) e punctúra (picada). Trata-se de inserir agulhas em pontos do organismo
onde há maior concentração de energia, são os chamados meridianos.
Os meridianos são canais onde circulam a energia no nosso corpo. Existem vários
canais de energia como, por exemplo, o meridiano do coração, do rim, do fígado, do
pulmão, do baço e do pâncreas. O meridiano integra os sistemas físico e emocional,
simultaneamente.

Exemplos:

– A energia do coração se relaciona com a alegria e a ansiedade;
– A energia do pulmão se relaciona com a depressão e a tristeza;
– A energia do fígado se relaciona com a raiva e o rancor;
– A energia do rim se relaciona com o medo e o pânico;
– A energia do baço e do pâncreas se relacionam com a racionalização e a
preocupação.

Então, uma pessoa muito preocupada pode vir a ter diabetes, por exemplo, já que o
pâncreas é o responsável pela secreção de insulina, que regula o nível de açúcar no
sangue.

Quando essa energia não flui, ela provoca uma estagnação e essa estagnação leva às
doenças, é a chamada somatização. Daí que surgem as doenças psicossomáticas. Esse
distúrbio provoca tanto alterações físicas como emocionais. Quando você tem a
estagnação, acontece a dor. Por isso, a acupuntura pode ser utilizada como anestésico.

Pontos de acupuntura

Através dos pontos de acupuntura (agulhas nos meridianos), são liberadas substâncias
como: endorfinas, serotoninas, entre outras, que regulam nossa fisiologia e nosso
humor. Elas têm atuação sobre doenças autoimunes e doenças de fundo emocional.
Por isso, a acupuntura pode ser utilizada no tratamento de uma síndrome do pânico
ou mesmo de uma hérnia de disco, porque o tratamento atua na causa do processo,
ou seja, trata da causa do desequilíbrio.

Aplicação da acupuntura

Pode ser utilizada como tratamento complementar para boa parte das doenças ou
como terapêutica predominante, principalmente no caso das doenças
psicossomáticas.

Comments are closed.

Footer