|

Entenda o perdão por Jou Eel Jia

| TERAPIAS

Por que temos tanta dificuldade de perdoar as pessoas, mesmo aquelas que amamos verdadeiramente? Certa vez, uma paciente me contou um episódio de sua infância que, de certo modo, responde a essa questão. Quando ela estava com seus 4 ou 5 anos, costumava passar as férias na casa de uma tia de quem gostava muito. Numa dessas temporadas, enquanto brincava com suas bonecas na sala, ouviu a tia conversando afetuosamente ao telefone com um velho amigo da família.

Logo que o fone foi colocado no gancho, ela não conteve sua curiosidade e, com aquela inocência típica de criança, perguntou se ele era seu namorado. A partir daquele dia, a tia, que sempre foi muito próxima, foi se afastando até romper todos os laços. Minha paciente só compreendeu a rejeição muitos anos depois, quando veio a saber que o tal homem – por uma infeliz coincidência – era seu amante.

O exemplo dá a medida de que muito da dificuldade de perdoar o outro vem daquilo que não perdoamos em nós. Faça uma breve retrospectiva dos seus desafetos e tente identificar o motivo que levou ao rompimento. É bem provável que você descubra que se afastou de determinada pessoa por ela ter revelado – ainda que de forma descuidada – uma fragilidade que você não queria enxergar.

Nesse caso, o único jeito de continuar negando a realidade para si mesmo é colocar-se na defensiva, transferindo para o outro um ressentimento que na verdade é fruto da confirmação de alguma fraqueza íntima.

Se alguém o acusa de egoísmo e lá no fundo você sabe que tende a se ocupar excessivamente com seus próprios interesses, o impacto será muito mais doloroso – e, portanto, mais difícil de perdoar – do que qualquer outra agressão aleatória.

Perdoar é sobretudo um processo de autodescoberta. Antes de sair por aí julgando e condenando as pessoas, é preciso tentar entender por que suas palavras ou atitudes fizeram tão mal. Não seria porque refletem a verdade? Se for, não negue esse fato. Simplesmente reconheça suas falhas e use-as para tornar-se melhor.

O que muitas vezes recebemos como agressão pode vir a ser uma importante lição de vida se deixarmos de lado certos melindres. É difícil perdoar aquela amiga que sumiu num momento em que você mais precisava dela? Procure refletir um pouco sobre o que está por trás da questão. Será que você não está esperando demais das pessoas ou tentando exercer um controle que não lhe cabe?

Aproveite uma situação de conflito para se auto avaliar. Lembre-se que mais importante do que reatar relações – dependendo do caso, isso nem sempre é possível – é entender o que se passa em nosso íntimo e tentar resolver a questão internamente. Pode apostar que o perdão surgirá de forma natural.

 

Comments are closed.

Footer