|

Expressar emoções é como trocar energias – trecho de “O Caminho da transformação para a cura” de Dr. Jou Eel Jia

| TERAPIAS

Expressar emoções é realizar uma troca de energias. Hoje essa troca está prejudicada porque as pessoas têm dificuldade para entrar em contato com as suas próprias emoções e, portanto, conhecê-las. E fica difícil para alguém que não conhece suas próprias emoções trocar essa energia com os outros, realizar essa transferência de emoções e essa interação com seus pares.

O avanço da tecnologia reforçou muito o pensamento narrativo descritivo. Assim, hoje afirmamos que pertencemos a uma comunidade na qual existe uma troca de informações permanente, e nos sentimos protegidos e pertencendo a um grupo. Porém, essa é uma falsa ideia. Se há um problema no suprimento de energia elétrica, perdemos todo o contato com essa comunidade e ficamos isolados. Não se está levando em conta o outro estado de consciência: a consciência corporal, nossa consciência como totalidade do Ser.

A consciência mental é o seu momento pensante, e a filosofia ocidental fez uma dicotomização: o “penso, logo existo”, ou o “existo apenas porque penso”, como queria René Descartes. Assim, a mente dominaria o corpo, que ficaria então encarregado simplesmente da tarefa burra de suprir de forma mecânica as necessidades da mente. Sabemos hoje que isso não é verdade, que o corpo tem sua própria consciência, e sua inteligência intrínseca. Por exemplo: quando você janta e vai dormir, no dia seguinte o seu estômago está vazio. Existe aí uma consciência, a consciência do estômago; quando você fecha os olhos e dorme, seu coração continua batendo, seu intestino e sua bexiga continuam funcionando, a urina se forma. Há uma consciência corporal que vai trabalhando automaticamente, sem interferência da mente. Você não é apenas uma consciência racional.

A máxima cartesiana “penso, logo existo”, é uma descrição totalmente racional, que despreza toda a atividade realizada em outro nível pelo seu organismo. Você consegue acelerar seu coração só pensando? Você pode ordenar ao seu intestino que funcione, caso ele esteja preso? Essa é uma maneira unilateral de ver o ser humano.

 

Comments are closed.

Footer